Publicado em 10/08/20

10 de agosto de 1519, parte de Sevilha a armada de Fernão de Magalhães rumo ao Oriente.

Plaza de España - Sevilha

O navegador português que traiu sua coroa e partiu para o Pacífico com ajuda dos monarcas espanhóis

Colombo foi um navegador genôves que solicitou ao Rei de Portugal apoio para sua empreitada de chegar ao Oriente navegando pelo Atlântico e como todos sabem levou um sonoro: -Não! Desiludido com Portugal resolveu clamar para os espanhóis e o resto e foi assim que o Novo Mundo entrou para a história.

Mas, interessante como a história se repete, poucos anos depois, outro navegador português recebeu também uma negativa do rei de seu país, e como solução atravessou a fronteira, conseguindo mais uma vez os recursos e apoio dos monarcas espanhóis. Ele foi o navegador Fernão de Magalhães, que depois de muito servir a corte portuguesa teve suas desavenças com o rei D. Manuel, que se recusou inclusive ter sua mão beijada pelo navegador. Magalhães foi pedir na Espanha apoio para buscar o Oriente via navegação pelo Oeste, só que nesse caso contornando as Américas pelo extremo sul com o objetivo de chegar as Ilhas Molucas no Sudeste Asiático, chamadas de ilha das especiarias.

Como resultado Magalhães procurou a corte castelhana que o apoiou[1], e pode-se assim lançar-se ao mar com as embarcações eram Trinidad– capitaneada por Fernão de Magalhães, San Antonio por João de Cartagena, Concepción por Gaspar de Quesada, Victoria por Luiz de Mendoza e Santiago por João Rodrigues Serrão e seus homens somavam segundo os cronistas mais de 230 tripulantes. Curiosamente poucos espanhóis compunham o efetivo da armada, muitos se negaram a se submeter ao comando de um navegador português.

Segundo o tratado de Tordesilhas, as ilhas estariam sob a jurisdição de da corte castelhana e o português. Após muitas negociações, foi decidido que 1/8 do lucro deveria ser dado a corte espanhola de Carlos I, futuro Carlos V. Os espanhóis então mandaram armar cinco navios com suprimentos suficientes por dois anos e Magalhães pode assim se lançar ao mar.

[1]             Após muitas negociações, ao apoiar as despesas de Magalhães para buscar o oriente pelo oeste, 1/8 do lucro deveria ser dado a corte espanhola de Carlos I, futuro Carlos V. E assim foi, os espanhóis mandaram armar cinco navios com suprimentos suficientes por dois anos.

Para saber mais sobre  o tema:

  1. Cronologia [Descobrimentos] 8 de setembro de 1521, armada de Fernão de Magalhães desembarca em Sevilha
CATEGORIAS:
TAGS:
Autor
Mafra lake

Andre Mafra

  Estudioso da área de culinária desde 2010, dedica-se a pesquisar e estudar sobre alimentação e especiarias. Realizou viagens aos… Continue lendo.

Instagram Prof. André Mafra

Please enter an Access Token on the Instagram Feed plugin Settings page.

Tópicos recentes

Comentários

Arquivos