Publicado em 10/08/19

10 de agosto de 1519, parte de Sevilha a armada de Fernão de Magalhães rumo ao Oriente.

Plaza de España - Sevilha

O navegador português que traiu sua coroa e partiu para o Pacífico com ajuda dos monarcas espanhóis

Colombo foi um navegador genôves que solicitou ao Rei de Portugal apoio para sua empreitada de chegar ao Oriente navegando pelo Atlântico e como todos sabem levou um sonoro: -Não! Desiludido com Portugal resolveu clamar para os espanhóis e o resto e foi assim que o Novo Mundo entrou para a história.

Mas, interessante como a história se repete, poucos anos depois, outro navegador português recebeu também uma negativa do rei de seu país, e como solução atravessou a fronteira, conseguindo mais uma vez os recursos e apoio dos monarcas espanhóis. Ele foi o navegador Fernão de Magalhães, que depois de muito servir a corte portuguesa teve suas desavenças com o rei D. Manuel, que se recusou inclusive ter sua mão beijada pelo navegador. Magalhães foi pedir na Espanha apoio para buscar o Oriente via navegação pelo Oeste, só que nesse caso contornando as Américas pelo extremo sul com o objetivo de chegar as Ilhas Molucas no Sudeste Asiático, chamadas de ilha das especiarias.

Como resultado Magalhães procurou a corte castelhana que o apoiou[1], e pode-se assim lançar-se ao mar com as embarcações eram Trinidad– capitaneada por Fernão de Magalhães, San Antonio por João de Cartagena, Concepción por Gaspar de Quesada, Victoria por Luiz de Mendoza e Santiago por João Rodrigues Serrão e seus homens somavam segundo os cronistas mais de 230 tripulantes. Curiosamente poucos espanhóis compunham o efetivo da armada, muitos se negaram a se submeter ao comando de um navegador português.

Segundo o tratado de Tordesilhas, as ilhas estariam sob a jurisdição de da corte castelhana e o português. Após muitas negociações, foi decidido que 1/8 do lucro deveria ser dado a corte espanhola de Carlos I, futuro Carlos V. Os espanhóis então mandaram armar cinco navios com suprimentos suficientes por dois anos e Magalhães pode assim se lançar ao mar.

[1]             Após muitas negociações, ao apoiar as despesas de Magalhães para buscar o oriente pelo oeste, 1/8 do lucro deveria ser dado a corte espanhola de Carlos I, futuro Carlos V. E assim foi, os espanhóis mandaram armar cinco navios com suprimentos suficientes por dois anos.

Para saber mais sobre  o tema:

  1. Cronologia [Descobrimentos] 8 de setembro de 1521, armada de Fernão de Magalhães desembarca em Sevilha
CATEGORIAS:
TAGS:
Autor
Prof. André Mafra

Andre Mafra

  Estudioso da área de culinária desde 2010, dedica-se a pesquisar e estudar sobre alimentação e especiarias. Realizou viagens aos… Continue lendo.

Error: Access Token is not valid or has expired. Feed will not update.
This error message is only visible to WordPress admins

There's an issue with the Instagram Access Token that you are using. Please obtain a new Access Token on the plugin's Settings page.
If you continue to have an issue with your Access Token then please see this FAQ for more information.

Instagram

Tópicos recentes

Comentários

Arquivos

Meta

Páginas