Publicado em 07/07/20

O que come um homem de verdade?

DSC00046

Além do fator econômico, um ar de extraordinário envolvia as funções e os feitos do uso das especiarias. Dizia-se que aumentava o apetite, combatia resfriados, evitava picadas de insetos e, até mesmo, anulava o efeito de venenos. Juntamente com o gengibre e outros condimentos, as pimentas tinham, e têm até hoje, a fama de realizar milagres. Afirmava-se que incentivavam a potência sexual – praticamente o vyagra[1] do passado. Na verdade, acreditava-se que todos os alimentos caloríficos teriam o poder de estimular a libido; consequentemente, os itens frios teriam o efeito contrário[2]. Por esse motivo, seriam chamados de homens de verdade os apreciadores de uma alimentação forte e picante, sem saladas! Já aos solteiros e aos sacerdotes, em tempos de grande repressão sexual, estava liberado o consumo de alface à vontade…

dsc_9231

Foto de karina Cordeiro: Galanga, chamada de vyagra marroquino

Das muitas especiarias, a pimenta foi a mais valiosa durante os séculos XVI e XVII. Juntamente com o cravo, o cominho, o coentro, a canela, o gengibre e o sal, combinados em diferentes proporções e elementos, permitia a conservação da carne em um estado minimamente palatável para a ingestão durante meses. Para a tripulação das naus, a canela aliviava a sensação de vômito, agravada pela ingestão de água que, em pouco tempo, tornava-se escura e fétida. Os pães também tinham problemas de estocagem, por isso, a pimenta, o açafrão, o coentro e o cominho ajudavam em sua conservação. Até vinhos e azeites eram misturados às especiarias, segundo os costumes medievais e a teoria dos humores, a fim de aquecer e preparar o estômago para a digestão dos demais pratos. Ainda hoje, o uso de temperos e do sal são empregados na conserva de alimentos.

Além de contribuírem para a sobrevivência de um povo, as especiarias possibilitaram um “upgrade” na cozinha europeia medieval, que saltou de uma comida simplória, bárbara, tostada ao fogo de chão, para uma alimentação bem preparada, saborosa, rica e colorida. Por tudo isso, o uso dos condimentos permitia uma alimentação de mais qualidade, ajudava nos cuidados com a higiene e, consequentemente, trazia benefícios à saúde.

Começamos, assim, a entender por que a busca pelas especiarias tornou-se uma obsessão para aqueles aventureiros europeus, que enxergavam nas expedições, uma maneira de alcançar um futuro melhor.

 [1] Vyagra é uma palavra sânscrita de origem indiana que significa distraído, confuso, agitado (excited), animado, alarmado, de forma agitada, com grande entusiasmo, entre outras traduções segundo o Sanskrit English dictionary de Sir Monier Williams.

[2] Michael Krondl, em O sabor da conquista, pág. 260.

CATEGORIAS:
TAGS:
Autor
Mafra lake

Andre Mafra

  Estudioso da área de culinária desde 2010, dedica-se a pesquisar e estudar sobre alimentação e especiarias. Realizou viagens aos… Continue lendo.

Instagram Prof. André Mafra

Please enter an Access Token on the Instagram Feed plugin Settings page.

Tópicos recentes

Comentários

Arquivos