Publicado em 20/02/16

Alho

Alho – Allium sativum

Picância: 3

Espanhol: ajo; Francês: Ail; Inglês: garlic


 O alho tem origem na Sibéria[1], mas acredita-se que tenha sido cultivado ao largo do Mediterrâneo desde os tempos das construções das pirâmides do antigo Egito. Na época, com apenas sete quilos da especiaria, podia-se se comprar um escravo[2].

Alho
Alho – Allium sativum

O melhor alho se desenvolve em terras quentes e hoje já se espalhou por todo o mundo. Cresce em formatos de bulbos ou cabeças, que são as partes comestíveis, e podem ter suas cascas na cores branca, roxa e rosada. Cada cabeça pode ter bulbilhos ou dentes em números e tamanhos variados.

O ideal é encontrar um bulbo em que os dentes sejam firmes e não murchos. Alho de boa qualidade significa sabor garantido ao seu prato, e se ingerido cru, o gosto é bem picante. Possui a fama de reforçar a imunidade, de ser um anti-séptico, um estimulante natural, e também atua no combate a vermes e resfriados.

Mas o preço que pagamos ao ingerir alho cru pode ser caro, caso não se tenha a noção do que ele pode causar. Uma dica para você não ficar alhudo e diminuir o odor anti-relacionamentos é cortá-lo ao meio e retirar o seu pequeno miolo. Ou que tal, antes de ingerir aquela deliciosa pizza de alho, consultar o parceiro/a? A dica é: ou os dois comem, ou ninguém come… Curiosamente o alho é considerado um afrodisíaco.

Seu sabor é marcante e conquistou a mesa de milhões em todo o mundo. Cozido ou frito vai bem com quase todos os alimentos. As opções para utilizá-lo são muitas, pode-se descascá-lo e cortá-lo em tiras, pode-se picá-lo ou até mesmo espremê-lo. Alho vai muito bem em refogados de leguminosas, como beringela e abobrinha, cereais e pizzas, na qual pode ter a variação crua[3] ou frita. Pode-se ainda fazer patês, aromatizar azeites, queijos ou ainda assá-lo em papel alumínio junto a demais temperos e sal grosso.

Caso queira evitar o contato das mãos com o alho, minha sugestão é amassar o dente com ajuda de um garfo e jogá-lo com casta e tudo direto no preparo. Ao final, deve-se retirar a casca. Para uma suave influência no sabor do prato, basta esfregá-lo no alimento[4], a exemplo do gostoso Pa amb tomàquet (pão com tomate), prato típico da Catalunha.


 [1] Carlos Arbelos em Gastronomia de las tres culturas, página 70.

[2] Roberta Malta Saldanha em Histórias, lendas e curiosidades da gastronomia, página 159.

[3]  Ótima no combate a vampiros. (Nem todas as notas precisam ser sérias, não é mesmo?

[4] Para combater o perfume dos óleos voláteis do alho e da cebola, o prof. Alfons Balbach, no livro As hortaliças na medicina doméstica, página 240, recomenda esfregar aipo nas mãos.

 

 

CATEGORIAS:
TAGS:
Autor
Prof. André Mafra

Andre Mafra

  Estudioso da área de culinária desde 2010, dedica-se a pesquisar e estudar sobre alimentação e especiarias. Realizou viagens aos… Continue lendo.

Instagram

Tópicos recentes

Comentários

Arquivos

Meta

Páginas